Raças de Gatos: Snowshoe

Snowshoe



Descrição da raça

Caso o felino da raça Snowshoe não tenha botas brancas e também não conte com um V invertido branco a lhe marcar a face, com o começo sobre os olhos e alargandos até o maxilar este certamente não será um Snowshoe. A par disto a cabeça poderá ser caracterizada em formatos tanto redondo como triangular. Sobre elas suas orelhas medianas e largas, bem como pontas arredondadas encontradas.

Suas orelhas esbatem-se na linha curva dos olhos, que se apresentam em coloração oval e de um azul cintilante. A sua pelagem de comprimento entre o curto e o médio deverá misturar-se com o branco e cores sólidas. Uma coloração característica das extremidades das orelhas, de sua cauda e também de sua máscara facial por muitas vezes das pernas devem contar com uma base de cor preta.

Enquanto que a sua cor branca tende a se fixar na cara de onde parece escorrer para o seu peito, barriga e também patas.

É um animal que possui um porte de médio a longo, parecendo ganhar volume pela forma como a luz deve ampliar as suas linhas quando incidem nas marcações mais escuras de suas extremidades, que é o chamado color point.

Origem da raça

Tudo aconteceu certo dia em que uma grande ninhada de gatos siameses, raça que uma das mais importantes criadoras dos Estados Unidos criava, Dorothy Hinds-Daugherty. A criadora nos anos 60 percebeu uma estranha coincidência, nasceram três gatinhos que tinham algumas marcas diferenciadas bem como as patas de um branco imaculado. Bastante intrigada e interessada em por que teria acontecido isto, a criadora começou então um novo programa de reprodução com o intuito de se manter este traço físico exclusivo.

Foram então privilegiados os cruzamentos entre siameses com gatos bicolores da raça American Shorthair. O resultado foi bastante promissor. Ainda que nas primeiras crias parecessem de marcações de cores típicas dos Siameses, quando Dorothy pode as cruzar posteriormente com gatos da raça Siamesa, conseguiu então se manter as cores desejadas, com marcações de coloração branca nas patas. Este era de fato o primeiro passo de uma bem sucedida caminhada.

A criadora os chamou então de Snowshoes, sapatos de neve em português. Foi então que começaram a ser realizadas exposições locais onde nunca foi reconhecido. Dorothy então abandonou seu programa reprodutor da raça com base em outro fator que fosse determinante, a dificuldade e também a imprevisibilidade em repetir e produzir as corretas e desejadas marcas de coloração branca.

Foi então que outro criador não deixou morrer o programa Snowshoes. Não somente teria se dedicado a sua criação e desenvolvimento sistemático destes gatos, como pôde então desenvolver com outros criadores outros animais neste processo, empenhando-se de forma efetiva junto de várias associações felinas com o intuito de conseguir finalmente ver esta raça reconhecida.

Vikki então descreveu o primeiro standard da raça Snowshoe, nome que se manteve e obteve o American Cat Association e da Cat Fanciers Federation.

Um estatuto provisório da raça experimental foi realizado e como resultados a veio a primeira grande vitória para o gato da raça Snowshoe. Apesar disto poucos adeptos se sentiam cativados com o entusiasmo da criadora Vikki Olander, que no ano de 1977 era a única quem criava a raça nos Estados Unidos e acabaria por ser a última se não entrasse em cena o casal Jim Hoffman e Georgia Kuhnell.

Este casal trouxe então um raio de luz na luta que Vikki travava sozinha para que pudesse manter a raça viva. Seguiram-se mais criadores e a devoção deste grupo mais vasto e também determinado teria alcançado em 1983 o status de campeão para o Snowshoe atribuídos pela Cat Fanciers Association. No ano de 1986 se deu início a um projeto de criação da raça no Reino Unido onde o Snowshoe estaria registrado na chamada Cat Association of Britain, que foi onde a raça pôde alcançar o status que lhe permitia entrar em concursos e ainda disputar medalhas.

Um fato bastante curioso desta raça é que no ano de 1989 o abandono de Vikki Olander do projeto, a que se tinha dedicado por muito tempo de coração e alma, foi devido ao seu noivo que era alérgico a gatos. E por sorte Vikki apenas se apaixonou em uma altura que a raça já tinha nome. No ano de 1990 a raça finalmente teria obtido a aprovação da American Cat Fanciers Association e três anos mais tarde a aprovação da The International Cat Association.

Ainda hoje existem alguns atestados de aceitação por parte da Cat Fanciers Association, porém para isso é necessário que exista um maior número de exemplares existentes da raça e de criadores da mesma. Um requisito que é difícil de preencher devido à dificuldade em se criar gatos cujas marcas de cor correspondam exatamente as que são exigidas pelo padrão da raça, o que deverá ser levado em conta ao fato deste depender de um gene recessivo difícil de se controlar e de outras variantes que podem ser igualmente indetermináveis. Muitos dos gatinhos nascem com botas altas, outros com botas curtas, e outros também sem traços de cor branca.

Comportamento da raça

Além de serem gatos extremamente brilhantes, como a sua pelagem ou mesmo tão fascinante quanto a sua combinação de cores certamente é a sua personalidade vivaz que faz toda a diferença, ela é extremamente orientada para o contato social com os humanos que não demoram a se deixar seduzir por todos os seus encantos, além de um par de botas brancos.

É um animal muito afetuoso, meloso, calmo e adepto da vida caseira entre portas, rodeado da família, crianças e mesmo de outros animais onde normalmente se apresenta um grande e devotado amigo além de incondicional. Esta aparente pacatez, porém em nada deixa de lado a sua capacidade de aprender ou mesmo pela rapidez que aprendem os truques, como por exemplo, abrir portas, ou até mesmo ir buscar algo. Seus miados, porém são muito mais suaves do que o dos gatos siameses.

Outra característica interessante de se salientar é o apreço pela água, não sendo difícil o encontrar junto de torneiras ou mesmo em exercícios de natação. São muito ativos e revelam paixão por locais que sejam altos, mas não são cansativos nem mesmo facilmente excitáveis.

Seu temperamento dócil e companheiro tem um preço, ele não lida bem com a solidão, e nem entende por que os donos tem de ir trabalhar, por isso não podem ser deixados por muitas horas sozinhos.

Saúde da raça

Os gatos da raça Snowshoes são geralmente saudáveis, mas podem ter uma predisposição a problemas dentários e nas gengivas. A vacinação deverá sempre acontecer em datas corretas, além de uma vermifigação semestral e a alimentação de boa qualidade ajudam a manter a saúde em ordem destes animais.

Como cuidados é importante que por ser um gato de pelagem curta, é preciso dar banho regularmente e ainda uma escovação semanal é suficiente para que se possa manter seus pelos em ordem.

Como esta raça é propensa a problemas dentários, e nas gengivas é importante se escovar seus dentes com regularidade ou mesmo utilizar uma dedeira para que se possa fazer a limpeza.

Seguindo estas dicas certamente o seu gatinho irá ter uma vida muito mais feliz e saudável, o que certamente irá também lhe deixar feliz. Sua longevidade é tanta que ele poderá chegar a idades de até 18 anos, desde que bem cuidado, e recebendo as devidas e frequentes vacinas realizadas anualmente. Além disto, é importante as idas ao veterinário duas vezes ao ano que podem fazer toda a diferença.

Importante

Os animais são uma vida, não são brinquedos e tampouco enfeites. Ame-os e respeite-os. Pense muito antes de adotar um pet, eles precisam de muita atenção e carinho.

Fonte: Fofuxo / TICA: The International Cat Association
Foto: A/D - Arquivo OpenBrasil.org

Raças de Gatos - OpenBrasil.org
Página anterior Próxima página